13:41

Princípio da destreza

Postado por Ana C. |

É chegado o tempo de romper com todas as barreiras:

Quero as verdades difíceis de suportar.

Quero dias brancos, azuis e roxos. Tardes fagueiras, noites límpidas e manhãs ensolaradas, quando não houver mais nada esperando. Quero os erros e os perigos. Mistérios, milagres e magia. Quero entender os sinais fortes e claros, e encontrar renovada lucidez na jornada.

Entregas perfeitas quando o medo for maior.

Quero todos os beijos adormecidos no fundo de minha vontade, quero todos os sentidos em brasa, seu céu e seu desejo. Todos os dias. Quero o emaranhado dos cabelos e dos sonhos, quero a pontada aguda da dúvida e do ruído de passos no corredor.

Quero arco-íris escorrendo dos quadrantes, flores no teto e estrelas espalhadas pelo chão. Quero o barulho e o gosto da chuva, lavando todas as ruas e todos os atos. Quero voz e toque de veludo, suaves como uma borboleta ao pousar na flor. Quero banhar-me de luar e mergulhar em águas desconhecidas e cálidas, correr com a alma nua por entre poemas, flores e pedras.

Quero voltar ao centro, sabendo que fogo é tudo que sou, e penetrar em infinidades de tempos e tons azuis até alcançar (quando o tempo estaciona e tuuudo fiicaa leeentooo) a estrela flamígera na noite mais cheia de escuridão. Quero, em pleno deserto de almas secas, descobrir o tesouro no qual repousa um coração incrustado de pedras e que pergunta e pergunta e pergunta através dos séculos quanto mais terá ainda de esperar para, enfim, encontrar.

Quero aprender a enxergar no mais completo breu, sentir o hálito quente do lobo rondando no jardim e o olhar da águia quando se lança atrás de sua presa. Quero saídas inexplicáveis, mares de histórias, paisagens e mundos jorrando através de mim. Seremos camponeses, ciganos e marinheiros. Quem sabe, seremos poetas.

Quero a vontade suprema do espírito, piedade e sabedoria. Ex-plo/pres-são verbal exageradamente colorida contra o terror que há em cada gole e em cada mordida. A união de todas as coisas.

Comunicadora de sonhos quero ser.

Sem medo.

2 comentários:

Paula de Assis Fernandes disse...

Você já é, Ana. E pode ter o que quiser, tenho certeza. Eu quero o mundo. Com cada detalhe! Beijoo

Drika disse...

tá escrevendo um tantão assim

[ ___________________________ ]


=D