08:16

7 portas abertas

Postado por Ana C. |

É difícil perceber com clareza o processo, todos os motivos e circunstâncias interligados como uma rede. Mas não há como evitar. As coisas são como são: tudo está sempre mudando mas é sempre o mesmo. Não foi fácil desatar os nós, romper os diques. Mas as coisas acontecem quando têm de acontecer, acontecem antes mesmo de acontecer. Tantra. Raio que ilumina a escuridão e nos aquecerá para todo o sempre, tatuagem de fogo. (Lá se vão os pensamentos, como nuvens em dias de tempestade...)

E o tal reconhecimento, azul profundo, às vezes dá impressão de que estamos é vivendo o sonho de alguém que já sonhou antes. Como se já conhecêssemos as trilhas e a beleza de cada parada para descanso. E mesmo assim, há prazer em cada redescoberta. (Perdoa por amar tão de repente.)



Há muitas maneiras de apontar a flecha na direção de seu próprio centro.

Espero que você encontre uma.

3 comentários:

Graci Polak disse...

Que bom que tudo e sempre fica no mesmo lugar, tantas vezes errado.

É.

Anônimo disse...

Nao sei o que é pior, caminhar no escuro a culpando pelos erros que nao conseguiu evitar, ou na claridade que ofusca a visão, a culpando pelos erros que viu , mais nao conseguiu discernir se era certo ou não. O alvo está no luagr onde deve estar...as pessoas que estão nos lugares errados, ou longe demais pra acertá-lo.

S' disse...

Esoterismo entrelinhas. Ótimo.
7 portas fechadas no poema "Inventário amoroso", faz contradição com o que está escrito aqui?

Ainda preciso pensar...
(: