12:20

Um ano e um dia.

Postado por Ana C. |

O que muda quando se parte rumo a coisas que há muito esperam mesmo que não se sabia ao certo o que são?
Talvez o não saber faça parte, é preciso coragem para não temer não saber. E ainda assim se atirar.
Que algumas coisas se descobre, afinal, e isso clareia o caminho.
Das saudades apenas algumas poucas se repetem. É que o tempo realmente leva embora o pouco afeto mas o que fica, depois de tudo, é o que vai ficar para sempre. E isso basta. (Que todos os 180 velhos amores esquecidos descansem em paz e que a terra lhes seja leve.)
Os poucos donos da saudade enorme, – aqueles que, mesmo por contradição e tortamente nos lembram para qual lado fica o norte – a possibilidade de os perder é ainda a única coisa que assusta.
Que já fui de me assustar fácil, e as 5 paixões fulminantes desse ciclo que o digam. Fiquei marcada, fiquei doente, estive em repouso e não pude escrever. Cada uma deixou uma cicatriz ardendo em brasa, e cada cicatriz brilha como um brasão.
Pensando bem... uma ainda é uma ferida aberta.
Continuo apaixonada. Mas agora é diferente. Estou voltando.
Um novo amor relembrado. E futuros que já aconteceram.
Bem-vindo!

2 comentários:

Daniela Filipini disse...

Lindo!

Drika disse...

Que boniteza...
Coragem é o que temos e é o bastante para ser.