06:34

Proibido calar catarses

Postado por Ana C. |

Acordou com calor, banhado pelo sol que invadia o quarto e lhe ofuscava a visão. O problema de deixar a noite entrar era este: uma hora ou outra o sol entraria também.
Levantou-se e, a passos lentos, achou que era só mais um dia como tantos outros até que falou o habitual “bonjour tristesse” e ninguém respondeu. Alarmou-se. Depois de tantos anos de companheirismo... onde estaria ela? Revirou quartos, salas, fotos, filmes, músicas e nada. Não encontrou a velha amiga.
Olhou-se no espelho e ao invés da face cansada e triste de sempre foi com espanto que percebeu-se diferente, um brilho aceso nos olhos, há tanto apagados e opacos. Tocou-se para certificar que ele era ele, embora diferente. Parecia que era mesmo.
Lá no fundo sentiu alguma coisa, e há muito que não sentia coisa alguma, e não gostou muito disso não. Saiu, resolvido a encontrar a dor que sempre encheu todos os seus dias e que, sem mais nem porquê, sumiu de repente, deixando-o com esse vazio no peito pelo qual, já sabia, outras emoções sorrateiras estavam se esgueirando.
Na rua foi pior ainda. As pessoas passavam com semblantes plácidos e iluminados, algumas até sorriam e cumprimentavam. No céu, de um azul que não era normal, algumas nuvens brancas passavam ligeiras. Um vento soprou despenteando-lhes os cabelos e não pode deixar de sorrir. Respirou fundo e, sem aquele peso de sempre nos ombros, sentiu uma pontadinha no coração. “Opa, ela voltou”, pensou. Mas não. Não era pontada de dor não. Ou, se era, era uma dor diferente, uma dor de boniteza, de vontade de novo, uma dor de tirar a venda depois de muito tempo na escuridão.
Olhou, ofuscado, para o horizonte e, ao invés de cinzas, o que avistou foi uma série de portas, sonhos e poemas.

2 comentários:

mulher rebelde disse...

Meus Deus, será que é isso que eu to sentindo é a falta da dor??? A gente se acostuma facil demais com as coisas..inclusive com a dor e com a falta dela. So é dificil se acostumar com a falta das pessoas que te provocam esses sentimentos.

Coiote disse...

Isso é o que se chama revolução da consciencia. Será ouro no meio do barro?