13:44

Resgate 1

Postado por Ana C. |

Encontrei esse e mais alguns textos, despojos do ladyofstorm. Já tem uns cinco (seis?) anos e, no fundo, talvez não mudemos tanto assim. Porque parece que de alguma forma tortuosa continuo a mesma garota, aquela...




I have the strenght to endure
And all the love so pure
I have the strenght to endure
Because, because...



Joey Ramone acordou, levantou-se de seu túmulo. Caminhou até minha pessoa e desejou-me uma boa semana.
O caminho da felicidade está cheio de pequenas prisões porque ser feliz é complicado: é preciso amar, e isso é um esforço danado. Melhor ser infeliz e desalmada.
Choices of heart. As marcas da violência nenhuma doçura as apagará: é apenas a violência que pode destruí-las. Desiderata. De onde vem a indiferença temperada a ferro e fogo? O mal do mundo é achar que tudo não tem solução e tocar tudo para dentro (o mundo me engole e me cospe porque sabe que eu não devo fazer bem) mas acontece que é difícil saber quando se está intrometendo, forçando. Cadê a intuição, o instinto, o feeling? Tudo embotado. Cadê aquela fibra de que era feita? Metal pobre, bronze ou cobre.
Quando mais precisava.
Deja vu. (Como era mesmo? Me ame quando eu menos merecer porque é quando eu mais preciso? Não sei, não lembro.)
Nada original. Um diabo solto, uma prisão que o segura.
Não se aguenta mais sentir tanto... nem eu? Talvez seja a pior coisa que podia ter acontecido, ainda que tudo se encaixe, agora ou depois. Nem sei mais no que acreditar (e a paz que eu busco agora nem a dor vai me negar). E a gente tem que passar por tudo nessa vida. Mesmo que a vida de uns seja se foder mais e a de outros se foder menos. A gente tem obrigação de passar. Sentir completamente não importa o quê.
Happy-ends. A vida deveria ter somente happy-ends, mesmo que a gente se arrebentasse pelo caminho. E eu sei: o tal Destino, filho da Noite, obscuro e invisível, que estende seu domínio sobre homens e deuses... nem Júpiter pode opor-se a suas decisões pois, sendo dono da sabedoria suprema, sabe que se mudar os desígnios do Destino romperá com a ordem do universo..., para você ver camará. E que moral tenho eu? Era de ficar bem quietinha aqui no meu canto, isso sim.
Para que teorizar sobre estar só se o inverso de ser feliz é a certeza de saber que nem sempre temos respostas que queremos ouvir? Entrar no vagão, mesmo sabendo que nada é pra sempre. Mas enquanto dura tem que ser total, senão mixou. Não será esse o problema? Não importa o quanto dure? E a coisa, o “affair”, o encanto mágico, poderia ter acabado simplesmente aí, não fosse o “ne me quitte pas” ser mais forte do que tudo. (Amor próprio ferido é foda, custa a cicatrizar.)
Eu compreendia tudo luminosamente e não compreendia absolutamente nada. Compreender é modificar-se, ir além de si mesmo. Ainda não fui. (O tiro não dói quando a bala entra, dói só quando entra o ar.)
Isso passa. Deita e dorme.
Que não achem tempestades onde somente há brisas, que amantes vem e vão, mas nunca são em vão.
Mas não vou me sujar. Porque quero você para você e não para mim. Seu caminho é seu e o meu é o meu. Se não podemos cruzá-los não adianta forçar. Porque eu não fui feita para mendigar. Não nessa vida. (Mesmo quando eu sempre exagero tudo. Vai ver ando muito sensata, hora de trocar de psiquiatra. 'Você diz "já foi" e eu concordo contigo, você sai de perto, eu penso em suicídio, mas no fundo eu nem ligo...') Coisas da fase em que a gente está disposto a tudo para sair da falta de ar...
Quais são as regras? O que ficou?
Mas, afinal, não é isso que dá samba, dá poesia? E eu não sei fazer poesia, ainda mais quando o seu engano apaga um novo dia e leva você embora da minha vida. Bem que tentaram me ensinar a aceitar tudo sem reclamar mas sabe como eu sou teimosa. Beber em excesso, fumar em demasia, sair sem rumo, xingar um pouco, pular, cantar, gritar, socar, morrer um pouco, o que vier primeiro. Mas não chorarei essa noite. Agora quero esquecer tudo, quero descansar. Eu preciso. Esquecer a ressaca dos seus olhos porque não pretendo ser engolida hoje, obrigada.
Esquecer a areia da praia onde seus pés fizeram dois pequenos lagos tão breves que não deu tempo dos meus olhos mirarem-se neles...


Temos muito ainda que aprender.


2 comentários:

Anaxilê.. disse...

"Temos muito ainda por fazer, não olhe pra trás, apenas começamos...
O mundo começa agora, ahhhhh, apenas começamos..."

Amo-te garota....

Drika disse...

Que bem legal demais!